fbpx

Transportes em Amsterdão

Na Holanda existem mais bicicletas que habitantes, não sei se é verdade, mas parece.

Quando falamos de Transportes em Amesterdão a bicicleta tem um papel muito importante. Elas estão por todo o lado, e são um perigo para os turistas incautos que geralmente param em cima das ciclovias. Apesar de ter bicicleta e ir de bicicleta para o trabalho, não é o meu único meio de transporte.

Transportes públicos


Em Amsterdão, e na Holanda em geral, parece-me que os transportes públicos funcionam bem, excepto quando começa a nevar, aí pára tudo.


Comboio (NS.nl), Tram, Metro e Autocarro (GVB.nl)  são os meios existentes, e a grande facilidade é que um cartão (ov chipkaart) serve para todos, e melhor, serve em toda a Holanda. Um dos meus colegas riu-se de mim quando perguntei se o meu cartão funcionava em Roterdão, onde ele vive.


Há várias maneiras de viajar com o ov chipkaart: passes de comboio, passes da gvb com zonas (como em Lisboa e Londres), débito directo, e carregamentos na máquina. Ainda no comboio, há um desconto anual, que por cerca de 50 euros as viagens nas horas fora de ponta, incluindo fins de semana, têm 40% de desconto, e o desconto é extensível a mais 3 pessoas que viajem juntas. Há também a possibilidade de ter um cartão anónimo, ou com nome. O importante é o “check in” e “check out”. Se não se fizer o checkout paga-se o montante máximo. No comboio é necessário ter um mínimo carregado no cartão para conseguir fazer o check in (o montante varia de acordo com o tipo de cartão: 20 euros para um cartão anónimo, 10 euros para um cartão com desconto).

Bicicleta


É fácil andar de bicicleta em Amsterdão, fora do centro da cidade. O centro, para mim, é demasiado caótico, há demasiadas bicicletas, demasiados turistas, demasiada confusão. Só andei uma vez no centro de bicicleta e às tantas, comecei a ir com ela pela mão.


Pode-se transportar bicicletas no comboio, no metro e no tram 26. De resto não é possível.

Grande desafio das bicicletas

O que eu acho mais difícil a andar de bicicleta são as pontes fora do centro (“ligeiras” subidas e como são zonas mais abertas geralmente têm muito vento), e claro, quando está vento contra. Com chuva também é mais difícil, mas com umas calças de chuva (comprei as minhas na Hema, na secção de criança), uma gabardine ou casaco impermeável, e uma protecção para a mochila a coisa faz-se. No inverno é imprescindível usar luvas, caso contrário, as mãos congelam com o vento frio. No verão é uma maravilha, excepto os insectos que voam contra mim.

Amsterdão

Carro

É caro ter carro na Holanda: o combustível é ligeiramente mais caro que em Portugal (o gasóleo custa 1,47€ e a gasolina 95 custa 1,76€). Os carros parecem-me mais baratos, mas depois é necessário pagar imposto, seguro e estacionamento.

O imposto (de circulação) depende da idade e de quão poluente é o carro. No nosso caso, tínhamos um VW Golf a diesel de 2003 em Portugal e iríamos pagar cerca de 150€/mês (o imposto é pago cada três meses). No entanto um carro menos poluente e mais recente paga muito menos (uma das minhas colegas paga cerca de 50€/mês).

O seguro é caro: é pago por mês, e ronda os 50 euros.

O estacionamento (em Amsterdão) é caro: dependendo das zonas pode-se pagar até 5€/hora. Há dísticos para residentes (pagos), mas há listas de espera enormes. Geralmente quem pode, compra ou arrenda uma garagem.
Na realidade não há extrema necessidade (no nosso caso) de ter um carro, e por isso acabámos por não trazer o nosso.

Além disso, para conduzir em Amsterdão é preciso ter cuidado: com as bicicletas, com os trams, com os outros carros e com os peões (turistas), por esta ordem.

Car sharing

Quando sentimos necessidade de utilizar um carro o que fazemos é usar um serviço de car sharing. Existem vários à escolha, e paga-se pelo tempo de (curta) utilização. É prático e fácil, e relativamente barato. A única questão é ter um carro disponível na área onde estamos a precisar do carro.

Andar a pé

Sabe bem e é saudável. 🙂 Não o faço para o trabalho, porque é longe, mas muitas vezes quando vamos ao centro acabamos por nos deslocar a pé. Vamos vendo as montras e usufruindo da arquitectura e do espírito da cidade. 

Lê também:


2 comentários em “Transportes em Amsterdão

Adicione o seu

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Subir ↑

%d bloggers like this: