fbpx

Quais os passos para encontrar casa?

Encontrar casa em Malta pode ser muito simples ou o cabo dos trabalhos. Tudo depende do que se quiser, quanto se quiser pagar e, acima de tudo, onde se quiser alugar/comprar.

As zonas mais procuradas são Spinola Bay, Balluta Bay, Sliema, Gzira e Msida. Todos estes locais são perto da água, e localizam-se na zona de maior oferta de serviços e mais moderna (e turística) de Malta. De qualquer forma, sendo estas zonas as mais procuradas, são também, em regra, mais caras. Contudo, se se quiser mesmo ficar por ali, vale sempre a pena procurar dado que se a casa não for mesmo em frente ao mar (ou às vezes se se tiver sorte), o preço pode diminuir significativamente.

O centro e Sul têm preços mais acessíveis, embora, hoje em dia, estejam também mais caros devido ao boom de estrangeiros que tem havido em Malta, que resultou num enorme aumento da procura de casas. No entanto, em termos médios, enquanto nas zonas mais procuradas um T2 pode facilmente ser 1000€ ou mais por mês, no centro e sul rondará os 700€/800€. Naturalmente, o preço será também influenciado pelo tipo de casa que se procurar.

Para pessoas que vão sozinhas ou que gostem deste tipo de experiências, e que queiram pagar menos, pode ser fácil arranjar um quarto numa casa partilhada (situação que é relativamente comum entre os estrangeiros que cá vivem sozinhos). Geralmente são casas com 2 ou 3 quartos, vivendo por isso 2/3 pessoas. No entanto, há também casos com muito mais gente (já ouvi casos de casas com 14 pessoas) e outros em que apesar da casa ter 2 ou 3 quartos, só um é usado: uma vez mais, alguma sorte dá sempre jeito.

Para famílias com crianças e recém-chegados à ilha, aconselharia as zonas mais caras, que acabam por ser mais centrais e ter mais acessos. Aconselho não só pela oferta que há na zona (supermercados, restaurantes, parques infantis, praia), ou pela maior facilidade de movimentação na área (e a pé) mas muito pelas escolas, dado que nas públicas é como em Portugal, entra-se ou não de acordo com a morada e além disso, mesmo sendo públicas, a concentração de estrangeiros nessas áreas é mais elevada e, por isso, as escolas acabam por ter turmas maioritariamente “não Maltesas”, o que ajuda na integração e na interação entre todos (que acabará por ser maioritariamente em inglês). É verdade que o Maltês acaba por não ser tão desenvolvido, ou ser mas de uma forma menos célere, mas torna-se mais fácil para a criança integrar-se com os outros.

Quanto ao processo em si, há diversas agências disponíveis e sites onde procurar (que indico abaixo). Geralmente, através de agência fica mais caro, dada a comissão que se paga ao agente, mas pode acabar por ser mais seguro do que alugar diretamente a um particular. Alugar nos meses de Julho a Setembro também é de tentar evitar, dado que curiosamente os preços sobem durante estes meses (mesmo nos contratos de longa duração).

Geralmente, assinando contrato, a pessoa ou pessoas podem mudar-se quase de imediato. Os contratos são assinados por diversos prazos e os senhorios costumam ser relativamente flexíveis: tanto pode ser por 6 meses, como por 9, 12, ou até por vários anos (neste último caso, a caução acaba por ser maior).

Um cuidado que convém sempre ter ao alugar casa é saber se o preço inclui despesas ou não (água, eletricidade e internet) e qual a caução, dado que geralmente pedem um a dois meses de caução como entrada. Ao pagar esse valor, a comissão do agente imobiliário é também paga, sendo que esse pagamento cosutma ocorrer no momento de assinatura de contrato.

Agencias: Frank Salt https://franksalt.com.mt/ Remax https://www.remax-malta.com/ Belair http://www.belair.com.mt/letting/long-lets

Sites: QuickLets https://www.quicklets.com.mt/ ou Malta Property https://www.maltaproperty.com/en/longlet.htm

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Subir ↑

%d bloggers like this: