Passarinhos sair ninho

António Valente

A primavera da vida

Estou a viver um momento espacial na minha vida, considero os filhos como os passarinhos e uma vez criados iniciam o voo com os seus próprios meios, no entanto deixam-nos com o coração nas mãos!

Estaremos sempre na retaguarda para os apoiar e dar um empurrão, se necessário, mas será estranho passar no quarto deles antes de dormir e não estar ninguém para dar um beijinho de boa noite, assim como ao despertar para perguntar se dormiu bem.

Já vai ser mais difícil perguntar como decorreu o dia e analisar o que de mais importante se passou no mundo nas últimas horas, mas esta é a lei da vida. Uma nova etapa vai-se iniciar, vão decidir se vão compartilhar o dia a dia com o namorado ou a sós, mas para nós pais que temos muita cumplicidade com os filhos sentimos uma dor que não se vê mas sente-se, foram vinte e cinco anos sempre presentes com muitas alegrias e momentos felizes que vão continuar a existir mas menos intensos devido à distância.

A primavera da vida é isso mesmo quando estamos preparados para voar, voamos e a família está aqui para apoiar em caso de tempestade.

Terminou a universidade (Direito criminal e Direito dos negócios) resta entregar a tese, o que está a fazer com muito empenho, além de estar a fazer um estágio na polícia Judiciária no Luxemburgo, que está a adorar na área dos delitos financeiros .

A pequena com 18 anos continua do nosso lado por mais algum tempo até ingressar na universidade, o que nos vai dar algum tempo para nos adaptarmos sem os filhotes por perto e criando de novo uma cumplicidade entre nós com mais liberdade para grandes viagens e romantismo de outros tempos, esperamos nós.

Estamos a ficar mais maduros mas continuamos pais piegas com medo das mudanças, mas cheios de orgulho por termos sido capazes de mostrar o caminho e ensinar a voar.

Lê também:

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Subir ↑

%d bloggers like this: