fbpx

O traje dos Kuwaitis – Religião ou Tradição?

Quando digo que vivo no Kuwait, inevitavelmente a pergunta: e tens de andar tapada? Não, não tenho. E eles andam tapados por Religião ou Tradição?

Regra de vestimenta “Em Roma sê Romano”

Aqui não há regra de vestimenta, como em alguns países vizinhos, nem para estrangeiros, nem para os locais. No entanto, não nos podemos esquecer que é um país muçulmano e, como tal, algum decoro exige-se. Como costuma dizer-se “Em Roma sê Romano” e eu gosto de cumprir com os costumes do país onde me encontro.


E posso usar minissaia? Posso. Mas não o faço aqui, como não ando em Portugal. Mas por vezes ando de saia acima do joelho.Também para os homens é necessário haver algum decoro. Ainda no último fim de semana, passeava um estrangeiro em pleno shopping de calção de praia e t-shirt sem mangas. Claro que não escapou a muitos olhares e atrevo-me a dizer que alguns foram de repúdio. Acima de tudo é preciso saber estar.

As vestes tradicionais aqui no Kuwait são a Abaya (capa preta) e Hijab (lenço islâmico) ou trajes coloridos (em ocasião de festas) para as mulheres, e os homens usam a Dishdasha (branca no verão e escura no inverno) normalmente com lenço branco na cabeça. A Dishdasha está para os Kuwaitis como o fato e gravata está para os homens ocidentais. Ao fim de semana vestem claramente à ocidental. Se para eles é bem simples, já no caso das Kuwaitis é bem mais interessante de se observar como se vestem. 

Há aquelas completamente ocidentalizadas. Depois, há as que vestem roupas ocidentais com um “toque” oriental, há as que usam roupas ocidentais mas mais largas – para não mostrar a forma do corpo – e usam Hijab, há as que vestem a Abaya por cima da roupa, há as que usam Abaya com Hijab ou ainda, as que usam Abaya, Hijab e Niqab. O Niqab é o lenço que tapa a cara, deixando apenas os olhos à vista. (Atenção que Niqab e Burka não são a mesma coisa!).

Criada a confusão. Tentando clarificar, e quiçá, desmistificar um pouco o conceito das mulheres andarem forçosamente tapadas, isso não é inteiramente verdade. Se nalguns casos é, de facto, por imposição familiar, noutros, já depende de cada pessoa. Por vezes há famílias inteiras, em que umas usam Niqab, outras Hijab e outras absolutamente nada. E isto é normal! 

O Islão apenas refere que a mulher se deve cobrir, como na Igreja Católica também as mulheres se “cobriam” e os homens “descobriam”.


Mesmo debaixo dos Niqabs, elas vão a festas, fazem compras, vão com as amigas aos restaurantes ou cafés, frequentam universidades, conduzem, etc, etc. e são mulheres de todos os quadrantes da sociedade, de mais ou menos familías importantes, com mais ou menos instrução, trabalhadoras, ou donas de casa.   

O motivo “o que protege do frio, protege do calor”

Aqui há tempos, dei comigo a pensar que se calhar isto de tapar a cara tem uma razão de ser. Não esquecer que este país é um deserto e que no deserto, há tempestades de areia. Quando há uma  tempestade de areia temos de tapar completamente a cara e fugir a sete pés!Quem nunca viu filmes das Arábias, em que eles e elas se cobriam quando havia tempestades de areia? E as vestes deles e delas nesses filmes antigos?! Quando os nossos alentejanos afirmam que “o que protege do frio, protege do calor”, e por isso se cobrem da cabeça aos pés, também percebo que aqui se faça o mesmo quando temos 50 e tal graus de temperatura. 


Questão cultural – Tradição

Por tudo isto, entendo que, aqui no Kuwait, o uso do Niqab é essencialmente uma questão cultural, tribal, tradicional e não, uma questão religiosa. Agora, quando vejo alguém a usar Niqab, já não olho como “coitadinhas”, mas sim como se alguém estivesse a usar o seu traje tradicional. Tipo eu, no meu traje minhoto e de lenço colorido na cabeça.E todas as vestimentas fazem parte da diversidade cultural que aqui prolifera, com pessoas de todas as partes do globo a usarem as suas vestes. 

Multiculturalismo precisa-se! E respeito pela diversidade também. 

Lê também:

Um comentário em “O traje dos Kuwaitis – Religião ou Tradição?

Adicione o seu

  1. Tenho exactamente a mesma opinião sobre o tema aqui em Marrocos… No caso das mulheres múçulmanas é uma questão cultural e escolha própria… no meu caso uma questão de decoro… 😊

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Subir ↑

%d bloggers like this: