fbpx

Fazer luto ao deixar um país

Esta semana, uma amiga que mudou de país muito recentemente dizia que se sentia em luto.

Fiquei a pensar nesta minha amiga e em quanto precisamos mesmo de viver uma espécie de luto quando vivemos grandes mudanças na nossa vida. Sei que pode parecer uma palavra forte ou até triste, mas é mais uma palavra de passagem. De libertação de uma realidade para agarrares outra.

Quando decides mudar (ou a vida decide por ti) é importante, para que a tua adaptação seja tranquila, que aceites que irás ganhar muitas experiências novas, mas também vais perder!

Nada será como antes, e não tem de ser. Quem muda de país de tempos em tempos, ganha toda uma nova vida! Mas perde outra vida que deixou no país de onde saiu. Esta perda pode ser muito dura, e ainda mais se não aceitarmos a mesma como natural e necessária.

Como em qualquer mudança, mesmo uma mais pequena, perdemos e deixamos algo para trás. Temos de trazer connosco o que nos fez bem, o que nos permitiu chegar até ali, mas temos de aceitar essa perda para estarmos totalmente disponíveis para uma nova realidade.

Aceitar a mudança põe fim ao luto

Assim é quando mudamos de país. Levamos os amigos no coração (e no WhatsApp!), levamos todas as experiências que nos transformaram, todas as aprendizagens que fizemos, mas também perdemos algumas pessoas que faziam parte do nosso dia-a-dia, alguns locais que já eram habituais, uma casa onde vivemos e que já chamávamos lar… mas a vida não acaba,
apenas muda e o mais importante é nos mantermos firmes na nossa pessoa e na nossa identidade.

Quando fui fazer um estágio para o estrangeiro, a primeira noite que passei no meu novo apartamento, foi passada a chorar… nada daquilo era meu, nada daquilo era eu…Chorei como quem chora a morte de alguém… No dia seguinte, aceitei que deixei (pelo menos durante os meses em que estive fora) a vida que tinha em Portugal. A minha família continuaria a fazer almoços sem mim, os meus amigos a divertir-se, as minhas aulas e
consultas a decorrerem sem mim… estava longe disso tudo.

Mas nesse dia, aceitei tudo isso, decorei o meu apartamento com partes de mim (fotografias, pequenos objetos que me conectavam com a minha essência) e permiti a mudança. Permiti-me estar disponível para tudo o que iria viver! E foi transformador!

E tu, que mudas de país constantemente? Como fazes esse processo? Achas que se assemelha a um luto?


Um comentário em “Fazer luto ao deixar um país

Adicione o seu

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Subir ↑

%d bloggers like this: