fbpx

Ter uma família na Alemanha

Sabe-se pouco sobre como é ter uma família na Alemanha.

Sabemos, no entanto, muitas outras coisas. A Alemanha é um país da Europa Ocidental com uma paisagem de florestas, rios, serras e praias do Mar do Norte.

Tem mais de 2 milénios de história. Berlim, a capital, alberga espaços de arte e de vida noturna, a Porta de Brandeburgo e muitos locais relacionados com a Segunda Guerra Mundial. Munique, é conhecida pela Oktoberfest e pelas cervejarias, incluindo a Hofbräuhaus, dó século XVI. Frankfurt, Cidade cosmopolita, com os seus arranha-céus, alberga o Banco Central Europeu e é um Centro Financeiro europeu. Tem também o maior aeroporto da Europa.

Mas como é então ter uma família na Alemanha?

Os alemães começam a constituir família depois dos 30

Um casal com um ou dois filhos é a média na Alemanha. A maioria das famílias avalia a sua situação financeira atual como sendo de boa até muito boa. Realmente, a renda média per capita (avaliada na necessidade) teve um aumento de quase 23 por cento entre 2004 e 2014, segundo o Familienreport . A parte dos custos com habitação os custos  são semelhantes a Portugal com ordenados 2 ou 3 vezes superiores. O ordenado mínimo é quase 3 vezes superior. 

Muitos jovens académicos levam bastante tempo para formar uma família. Primeiramente, eles querem terminar os estudos e começar a carreira profissional. Por isso, as mães têm em média 30 anos, quando têm seu primeiro filho, e os pais, em média, 35 anos. Esta é também uma das razões do reduzido número de filhos, dado que 53 por cento dos casais na Alemanha têm somente um filho. Na Alemanha ainda é comum ver as mulheres a ficarem em casa com os filhos e a oferta escolar não é compatível com as mães a trabalharem a tempo inteiro. (E os ordenados permitem está situação). As famílias a começarem mais tarde é o resultado das mulheres querem a sua independência antes de serem mães. 

O Estado oferece ajudas financeiras e logísticas

A Alemanha precisa de mais crianças, pois, depois do Japão, é o país com a faixa etária mais avançada. A taxa de nascimento é de 1,5 filho por mulher, a maior taxa desde a reunificação, mas ainda abaixo da média da UE de 1,58 filho por mulher. 

Por isso, o Estado ajuda as famílias de diferentes modos. Os mais importantes são o

  • Salário-família: incentivos fiscais e subsídios para mulheres grávidas e para famílias, cujas rendas não são suficientes para cobrir as necessidades dos filhos.
  • Além disso, também existe a formação escolar primária gratuita. O ensino público é muito bom. Existe uma grande preocupação em manter o equilíbrio a vida familiar e o trabalho. Existe ainda uma variedade de actividades gratuitas para crianças e pais. 

Leia também:


Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Subir ↑

%d bloggers like this: