fbpx

Escapadinhas pela Escandinávia

Viver na Noruega sem carro é muito difícil porque as pessoas acabam por ficar muito limitadas a transportes públicos, o que não responde às necessidades do conceito “turista”. Nós sempre tivemos carro, o que nos permitiu, desde o início, conhecer este vasto país. Mesmo assim, há destinos que só mesmo de avião, a não ser que estejamos desejosos de conduzir por 8 horas ou até mesmo 23.
Tudo é longe e as estradas não são as melhores. A Noruega não possui ainda muitas autoestradas, ao contrário do que se possa pensar. As coisas estão a melhorar, e muito, mas é um país muito grande!


Este verão, mais que nunca, devido à pandemia Covid 19, e como ficámos por cá, voltei a sentir o que já há muito dizia – a Noruega é um país lindo!
Cada vez mais tenho a certeza de que aqui, mais bonito que as cidades em si, é mesmo todo o trajeto para lá chegar. As paisagens de tirar o fôlego, a vida selvagem que se avista e por vezes atravessa a estrada – alces, raposas, veados e renas. Tudo isto claro, em plena harmonia com a mais verde vegetação de sempre, com campos verdejantes a perder de vista e com montanhas ainda cobertas de neve (em pleno Julho) a refletir, qual espelho, nos imensos lagos e fiordes.
Uma panóplia de beleza natural onde nos sentimos intrusos.

Há cerca de 3 anos, numa sexta feira à tarde, decidimos ir para Estocolmo, na Suécia. Sabe sempre bem fazer uma mala de mão, entrar no carro e ir de fim de semana. Foi uma viagem de 7 horas mas valeu a pena. Estocolmo não é muito diferente de Oslo em termos arquitectónicos e de urbanismo mas é sempre uma lufada de ar fresco e, sentimo-nos turistas por 3 dias.

Em 2019, em Outubro fomos para Gotemburgo, que dizem que vale mais a pena que Estocolmo.
São cerca de 4 horas de carro, o que se relativiza facilmente por aqui, é como quem diz, fica já ali! Gotemburgo é a segunda maior cidade da Suécia, muito plana e não muito grande, o que é comum às grandes cidades escandinavas e com a beleza natural dos canais ao longo de toda a cidade. Estacionámos o carro no hotel e andámos sempre a pé pela cidade.
Visitámos o Mercado de Feskekorka onde se vende peixinho – não comprámos porque íamos ficar mais um dia, acrescentando uma viagem de 4 horas. A arquitectura do mercado de parece-se com uma igreja nórdica e daí o nome do mercado, que significa “igreja do peixe”.

O bairro de Haga, que é um dos mais antigos da cidade é o spot para passear, tomar uma bebida numa esplanada e apreciar o movimento da cidade pois as ruas são para pedestres apenas.
Não perder uma viagem de cerca de 2 horas no Ocean Boat – um autocarro anfíbio que proporciona visitar a viagem, um city tour, e com viagem/ mergulho do autocarro no rio Göta älv.
Este passeio foi bem interessante porque tinha pouca gente (cerca de 15 pessoas) e uma guia.
Deu para ver a cidade toda em menos de duas horas. O Jardim Botânico é algo a visitar, bem como os parques Kungsparken e Trädgardsföreningen. Kungsparken, ou o Parque do Rei é um espaço verde maravilhoso em estilo Inglês – um espaço maravilhoso para piqueniques e para passear, especialmente no verão. Nós não tivemos muita sorte com o clima, mas já sabíamos de antemão, pois em Outubro é espectável que seja chuvoso e fresquinho.
E assim é, seja Suécia, Dinamarca ou Noruega, haja saúde, dinheiro e vontade de viajar!

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Subir ↑

%d bloggers like this: