fbpx

Ele morreu, ele esteve comigo toda a vida…e eu não estava lá

Em inglês o avô é o grande pai e no meu caso não pode haver melhor descrição para o que ele foi.

O meu grande pai esteve internado 8 meses. Eu sabia que o tempo dele era limitado, eu sabia que eu estava longe e eu sabia que ele, tal como a família, precisava de mim durante o tempo que lhe restasse. Mais do que de mim, precisavam dos meus pequenos…as crianças são uma fonte de força e da alegria inesgotável que ajudam as famílias a ultrapassar estes momentos. E como gerir? Há que fazer escolhas difíceis: ponho férias para ir lá todos os meses? Levo os miúdos para um fim-de-semana? Deixo-os cá? Quando for de férias, como divido o tempo entre o hospital e a praia? Será justo não o ver todos os dias? Será justo passar as férias num hospital? Como ajudo em questões práticas e logísticas? Faço o possível em prol do avô e ainda assim sinto que não é o suficiente, depois de tudo. Fico cansada e triste.

Vivo com a culpa de não ser neta suficiente para o avô que ele foi. Venho vazia a cada despedida. Vou ansiosa a cada regresso. Até que chega o fim…mas não acaba. O avô já não me espera, mas não termina.

O luto, estou a aprender, é um caminho longo que se faz melhor acompanhado e eu continuo longe. O longe é traiçoeiro, o longe não me deixa acreditar que ele não estará lá quando eu estiver perto.

Emigrar no meu caso é uma feliz decisão à qual devo a minha família e carreira, não a reverteria, mas a distância é um preço que por vezes se paga caro. Mais do que pensei. Sei que se orgulha de mim, sei que me compreende e que me apoiou em cada passo nesta decisão…mas eu fiz-lhe falta e ele vai para sempre fazer-me falta a mim.

2 comentários em “Ele morreu, ele esteve comigo toda a vida…e eu não estava lá

Adicione o seu

  1. Se recorrermos à memória e recordarmos os momentos bonitos que passámos com pais avós tios e outros familiares, que se foram sempre conseguimos mitigar a dor provocada pela sua ausência.

  2. Como me reconheci neste lindo texto felizmente no meu caso no final pude e fiz a escolha de acompanhar o pai até à sua última morada e só por isso sou grata ??

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Subir ↑

%d bloggers like this: