Crenças sobre o dinheiro

Joana Barbosa

Vou escrever sobre um tema pelo o qual me interesso muito e leio bastante, crenças financeiras ou crenças sobre o dinheiro. Sinto que foi uma herança do meu pai mas o interesse também aumentou quando percebi que ninguém fala muito sobre isso, principalmente em Portugal.

Pretendo partilhar uma compilação do que fui lendo, que espero vos faça pensar e rever a forma como nos relacionamos com o tema.

“A forma de lidar com o dinheiro tem raízes profundas no inconsciente, na educação e na cultura.”

Para escrever sobre o tema devo introduzir 3 conceitos:

Identidade: É o processo de produção do sujeito que lhe permite apresentar-se ao mundo e reconhecer-se como único.

Valores: Conjunto de características de uma determinada pessoa que determinam a forma como a pessoa se comporta e interage com outros indivíduos e com o meio ambiente.

Crenças: As crenças estabelecem prioridades morais e éticas e servem como guia para todas as atitudes da nossa vida.

As nossas crenças determinam o nosso comportamento e consequentemente os resultados. Não são a realidade embora possam parecer que sim e acreditamos de tal maneira que não os colocamos em causa.

As crenças transmitem veracidade dado que são criadas e construídas sobre acontecimentos vivenciados pelo próprio ou que foram transmitidos.

Elas podem ter origem na cultura, educação, religião, família, grupos de amigos e podem dividir-se em : 

  • Universais e pessoais
  • Centrais ou intermédias
  • Limitantes ou facilitadoras

Gostava de me focar nas crenças limitantes, que diminuem as possibilidades, as capacidades, o poder de transformação e o crescimento. São crenças que impedem de obter melhores resultados e alcançar as nossas metas. Tendem a fazer-nos duvidar e a temer algo, o que nos pode atrasar ou mesmo impedir de atingirmos o estado desejado.

Nem sempre é fácil irmos ao fundo da questão e identificarmos as nossas reais crenças sobre o dinheiro, mas vale a pena o esforço. Em particular quando nos referimos a dinheiro, essas crenças são evidentes. Há imensos pensamentos equivocados sobre dinheiro.

Exemplo de Crenças sobre dinheiro: 

  • Todo o rico é desonesto;
  • Os ricos são gananciosos;
  • Para quê poupar se depois os bancos ficam com tudo;
  • Quero é ser feliz, não me interessa nada o dinheiro;
  • Falar de dinheiro stressa-me;
  • Os carros bons nunca dão cedência de passagem;
  • As pessoas com muito dinheiro são antipáticas;
  • O dinheiro é a raiz de todo o mal;

Muitas destas crenças passam a reger o nosso comportamento. O modo como lidamos com o dinheiro e a riqueza, geralmente são apreendidos na infância e afetam a nossa vida financeira no presente, seja para o bem ou para o mal.

Portanto se tem uma crença limitante sobre dinheiro, inconscientemente tomará atitudes que afastam a independência financeira. A boa notícia é que felizmente podemos mudar isso e podemos ter esse cuidado para não passar isso aos nossos filhos. Vamos debruçar-nos sobre algumas das crenças mais comuns e tentar analisá-las:

Dinheiro é a raiz de todo o mal

Esta crença só tira a responsabilidade de cada um de nós pelos seus actos e coloca a culpa no dinheiro. O dinheiro é só um pedaço de papel ou um registo eletrónico na conta, sozinho, não faz nada. Desta forma, o dinheiro não muda ninguém, ele apenas revela quem a pessoa realmente é através do uso, com boa ou má intenção.

Como o pode o dinheiro ser mau, se com ele podemos alcançar a liberdade financeira e gerar oportunidades para outras pessoas? 

Enriqueceu porque fez algo errado

Existe uma crença que ganhar dinheiro é algo mau, de que toda a gente bem sucedida faz algo errado para chegar lá ou é má pessoa. Mas há inúmeros exemplos de milionários que construíram a sua fortuna de forma honesta e para estes ter dinheiro não deve ser motivo de vergonha. Pelo contrário, deve ser motivo de orgulho. 

Dinheiro não traz felicidade

O dinheiro pode não trazer felicidade para aquelas pessoas que só querem o dinheiro pelo dinheiro e ficam cegos para tudo e para todos. Porém, para a grande maioria o dinheiro traz felicidade! Pense no dinheiro como uma ferramenta para criar a liberdade e realizar sonhos.

Quando pensamos em felicidade, relacionamentos com família, amigos, boa saúde, ver os filhos crescerem, etc. E apesar de ter coisas que o dinheiro não compra, ele é um facilitador da felicidade. 

Ganhar dinheiro é muito díficil

Quem nunca ouviu dos pais coisas como:

“O meu dinheiro não caí da árvore”

“Não tenho dinheiro”

Ou ouviu os pais a discutir por causa de contas?

É claro que eles não fizeram por mal, mesmo porque eles não sabiam que nos estavam a condicionar, a pensar de forma errada sobre dinheiro.

Se você não nasceu rico, provavelmente nunca será rico

De acordo com o informação que pesquisei:

  • 55.8% dos bilionários do mundo construíram a própria fortuna 
  • 30,9% herdaram mas ajudaram a aumentar a fortuna
  • 13.3% herdaram uma riqueza inteiramente

Só se vive uma vez

Esta é uma crença limitante sobre o dinheiro muito perigosa. Gastar hoje como se fosse morrer amanhã pode pôr o seu futuro em risco.

Se estiver vivo amanhã e nos próximos 10, 20, 50 anos ? Terá património suficiente para se manter?

Dá que pensar sobre algumas destas crenças limitadoras que podem estar a sabotar ou influenciar de alguma forma a nossa situação financeira. 

Se temos algumas destas crenças devemos repensá-las e tentar mudar o mindset:

  1. Crie uma consciência Financeira
  2. Foco nos benefícios futuros
  3. Procura Conhecimento
  4. Não se fixe no histórico familiar
  5. Inspire-se em quem conseguiu
  6. Seja disciplinado

Lê mais sobre o tema em:

  • Vê diferenças na relação com o dinheiro nas outras nacionalidades?

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Subir ↑

%d bloggers like this: