fbpx

Casada com outra nacionalidade

Foi-me pedido que contasse a experiência de estar casada com um homem de outra nacionalidade, Espanhol. Na altura este assunto até provocou uma série de risos, já que eu não tenho muita experiência com homens portugueses e o termo de comparação acaba por ser quase inexistente. Mas, pronto vamos lá, saber como é estar casada com outra nacionalidade!

Um pouco sobre nós

Conheci o meu marido em 2014 em Madrid, sendo que ele é espanhol, mas da Região de Murcia. No início o que mais me chamou atenção nele foi o seu  jeito diferente e muito característico, não encaixando no estereótipo do típico espanhol (futebol, cervejola e festa), que acaba por não ser muito diferente do português (risos)!!! Talvez foi isso que mais me chamou atenção nele. Um tipo sossegado, tranquilo, amante da Natureza. Acho que essas características, acabaram por arrebatar o coração da portuguesa nortenha, efusiva e de “pêlo na venta”, a qual precisava um pouco de paz na vida.

Mas, indo ao ponto do artigo, e da experiência de estar casada com uma pessoa estrangeira e ao mesmo tempo viver na terra dela, pode ser algo peculiar. No meu caso, foi peculiar, sem dúvida, porque tomamos a decisão de viver em Murcia, já que seria mais fácil, pois a relação custo/qualidade de vida é melhor.

A região de Múrcia

A Região de Murcia é um dos maiores produtores de frutas, legumes e flores da Europa, com importantes vinhedos nos municípios de Jumilla, Bullas e Yecla, que produzem vinhos com Denominação de Origem. Possui também um importante setor turístico, concentrado numa costa com numerosas áreas virgens (muitas delas ameaçadas) e onde se encontra a lagoa salgada do Mar Menor. A sua indústria destaca-se pelo setor petroquímico e energético (centrado em Cartagena) e pela indústria alimentícia. O pico mais alto da região encontra-se no Maciço dos Revolcadores, com 2015 ms.

Casada com outra nacionalidade
Múrcia

A cidade é pequena e tranquila e tem crescido nos últimos anos, principalmente a nível de população estudantil.

Período de Adaptação

O período de adaptação para mim foi complicado, pois a diferença cultural dentro do próprio país pode ser grande e esta mudança ao princípio, gerou-me uma certa confusão mental. A mudança de uma capital cosmopolita como Madrid, para uma zona pequena e rural, onde não passas despercebida e toda a gente que não te conhece pergunta quem és, e questiona tudo o que fazes ou pensas, resultou ser algo que me transtornou um pouco. E isto acaba por ser recíproco, porque não estás acostumado à realidade deles, nem eles à tua. 

Hoje em dia, já aprendi a lidar com isso, mas a diferença realmente pode ser algo complicado ao princípio. 

Nunca tinha vivido em uma zona rural com poucos habitantes e desconhecia essa realidade. Hoje em dia, já me passa ao lado e não me afeta. Afinal a estrangeira aqui sou eu (risos)!

O relacionamento

É evidente que existem certos choques culturais, embora estes não sejam tão profundos, já que somos países vizinhos e a nossa cultura e herança cultural, ao fim e ao cabo, acaba por não ser tão distinta.

No meu caso e na minha opinião, creio que o mais importante é que te sintas bem com a pessoa que estás, saibas respeitá-la, sejas empática e que isto seja algo recíproco. As diferenças podem ser grandes, mas ambos devem saber meter-se na pele um do outro e aceitar-se mutuamente. 

A tolerância e paciência é algo que eu tinha em falta e ao longo destes anos, aprendi a cultivar. Penso que com o decorrer dos anos, também te tornas mais calmo e mais paciente, ao menos foi o que aconteceu comigo. Aquela portuense efusiva ainda existe, mas hoje em dia, com algum peso e medida.   

Hoje em dia, estamos casados e o casamento foi celebrado em 2017, no Porto. Uma boa parte da família e dos amigos aqui, acompanharam-nos nesta aventura, do outro lado da fronteira. E foi uma bonita cerimónia, onde pudemos contar com os dois lados da península. Os dias passam e já contamos com quase 7 anos de relacionamento, com os seus altos e baixos e com muito aprendizado à mistura.

Na minha opinião em geral, o amor e um relacionamento para ser estável, tem que ser bem cuidado e exigir dedicação por parte do casal e não importa que seja com um estrangeiro ou um nacional, isto é uma norma geral.

Casada com outra nacionalidade
Casada com outra nacionalidade

Façam o favor de ser felizes, juntos, acompanhados, sozinhos ou à procura de quem vos acompanhe na jornada da vida. 

Lê também:

Comentar

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Subir ↑

%d bloggers like this: